Associação Brasileira de Profissionais de Gramados Esportivos – APGE: uma proposta

Os grandes eventos esportivos de 2013 (Copa das Confederações), 2014 (Copa do Mundo) e 2016 (Jogos Olímpicos) estão se aproximando e muito brevemente nós brasileiros, estaremos tendo a oportunidade de mostrar ao mundo nosso país, nossa cultura e nossa organização para sediar estes eventos.

Figura 1 – Campo de treinamento de futebol com Celebration. Florida Atlantic University, FL, USA.

Figura 1 – Campo de treinamento de futebol com Celebration. Florida Atlantic University, FL, USA.

O desafio não é pequeno, pois teremos que melhorar – e muito – nossa infraestrutura, aeroportos, estádios e instalações esportivas. Cada segmento vai precisar se organizar e colaborar com o governo, cobrando esforços, investimentos e ações para que se obtenham os melhores resultados e possamos oferecer o que há de melhor e mais moderno para a realização de jogos e atividades relacionadas à estes eventos.

Com este objetivo em mente, os profissionais que atuam na produção, instalação e manutenção de gramados esportivos, estão procurando se organizar em uma associação que visa educar, reciclar e aprofundar os conhecimentos técnicos disponíveis para gramados esportivos.

O objetivo de uma associação desta natureza não visa apenas atender à Copa do Mundo e Olimpíadas, mas também oferecer à população brasileira gramados esportivos modernos e funcionais de forma constante e contínua por várias gerações.

O esporte é uma das melhores ferramentas para promover a integração social, o lazer, a saúde e a cidadania. A construção de novos campos esportivos será um merecido benefício à sociedade brasileira.

Profissionais ligados ao segmento de gramados esportivos no Brasil e no exterior, estão se mobilizando para formar esta associação. Dentre estes profissionais os Eng. Agrs. Alexandre e Paulo Antonio da Greenleaf, além de grande experiência no setor, estão sempre participando de congressos e conferências internacionais como o Golf Industry Show (GIS) e a Sports Turf Managers Association (STMA); além de visitar gramados esportivos profissonais nos Estados Unidos e Europa para acompanhar o uso das tecnologias e equipamentos mais avançados no setor.

Figura 2– Campo de softball – LSU. Eric Fasbender L.S.U. Asst. Director of Athletic Facilities, Alexandre Santos e Paulo Antonio – Greenleaf Gramados.

Figura 2– Campo de softball – LSU. Eric Fasbender L.S.U. Asst. Director of Athletic Facilities, Alexandre Santos e Paulo Antonio – Greenleaf Gramados.

Recentemente (Jan 2011), Paulo e Alexandre tiveram a oportunidade de participar da Conferência da STMA em Austin, Texas. Foi uma ótima ocasião para observar e entender como funciona a STMA nos Estados Unidos, que congrega profissionais, pesquisadores, educadores, empresas, universidades, produtores de grama e todos que de uma forma ou de outra estão ligados ao setor de gramados esportivos.

Figura 3– Paulo Antonio e Alexandre - Conferência da STMA em Austin, Texas, EUA.

Figura 3– Paulo Antonio e Alexandre – Conferência da STMA em Austin, Texas, EUA.

Figura 4 – Visita técnica – STMA- Campo de futebol americano - Texas A&M

Figura 4 – Visita técnica – STMA- Campo de futebol americano – Texas A&M.

Durante a Conferência, que durou 5 dias, foram apresentadas palestras técnicas, realizadas visitas à gramados esportivos da região, e realizado um trade show, mostrando equipamentos, máquinas, tecnologias, variedades de grama, enfim – o que há de mais moderno no setor. Durante a STMA, pude apresentar Paulo e Alexandre à Diretoria da STMA, que se mostrou bastante interessada em colaborar na criação de uma associação nos mesmos moldes no Brasil.

A idéia seria criar a associação no Brasil ligada à STMA, uma vez que a STMA já está estruturada há muitos anos e pode acolher a associação brasileira como uma extensão internacional. A associação brasileira funcionaria como um Chapter. Desta forma, ao mesmo tempo que manteria a sua identidade nacional, com diretoria e diretrizes próprias, também poderia usufruir da organização da STMA em termos de conferências, palestras, trade shows e até cursos de capacitação e certificação de profissionais. Existem duas possibilidades de associação com a STMA:

a) STMA Affiliated Chapter (afiliado diretamente)

b) International Affiliated Chapter (afiliado indiretamente)

A primeira alternativa é interessante pois oferece a oportunidade da futura associação manter uma página gratuita na internet, $500.00 dolares para uso em atividades educacionais e outras vantagens. Porém, exige um mínimo de 25 profissionais associados (sem contar profissionais de empresas – só gerentes de campos esportivos). Além disso, haveria a necessidade de se pagar uma taxa à STMA central e a obrigatoriedade desta nova associação se tornar uma empresa (Incorporated). Muitas das vantagens oferecidas ao Chapter (neste caso a Associação Brasileira) como seguro de viagem gratuito aos diretores e o envio gratuito de edições da revista da STMA, não são válidas fora dos Estados Unidos.

A segunda opção (International Affiliated Chapter), é mais simples de se estruturar e vai ter também todo o apoio da STMA. Entre os benefícios estão: constar no site da STMA, uma membership gratuita para o presidente da Associação, taxas de registro para conferências e treinamentos com valores diferenciados para membros regulares, e outras vantagens. As exigências para a criação de um International Affiliated Chapter são:

• Ser uma entidade reconhecida como empresa pelo seu país. Comprovação deste reconhecimento precisa ser enviada à STMA anualmente.

• Criar normas e regulamentos organizados num estatuto interno.

• Eleger uma Comissão Diretora.

Uma vez criada uma associação nestes moldes, esta poderá afiliar-se à STMA.

2) serem determinantes no impacto dos jogadores durante uma partida.

Outra grande vantagem de se tornar afiliado à STMA é a oportunidade para que profissionais brasileiros (membros da associação) se inscrevam para o curso de Certificação para Gerente de Gramados Esportivos – uma espécie de Superintendente de Golf, só que para gramados esportivos. Assim, qualquer profissional que deseje fazer o curso nos EUA, vai poder faze-lo pagando apenas o preço de custo. Esta é uma excelente oportunidade para que gerentes de campos esportivos no Brasil, reciclem seus conhecimentos e ao mesmo tempo recebam uma “certificação” para atuarem em suas respectivas áreas. Atualmente, os clubes esportivos americanos exigem esta “certificação” na contratação de profissionais para gerenciar seus gramados esportivos.

Esta “certificação” está passando a ser obrigatória não apenas para clubes profissionais, mas para áreas de lazer municipais e estaduais, escolas e principalmente universidades.

Figura 5 – Visita técnica – Campo de golf em San Antonio, Texas.

Figura 5 – Visita técnica – Campo de golf em San Antonio, Texas.

A Diretoria da STMA, através de seus representantes, está disposta a colaborar no que for preciso para estabelecer a Associação Brasileira de Profissionais de Gramados Esportivos. Estuda enviar parte de sua diretoria ao Brasil para auxiliar e fomentar a criação da associação e colaborar para a realização de uma conferência no Brasil enviando palestrantes.

Eu fico particularmente feliz, como brasileiro atuando no mercado de variedades de grama há mais de 15 anos (8 no mercado americano), em poder colaborar com a criação de uma entidade deste porte. A Sod Solutions, empresa para a qual trabalho, desenvolve e promove novas variedades de grama desde 1994. Nosso objetivo não é apenas criar variedades melhoradas, mais resistentes a doenças, seca e pisoteio como a Celebration Bermudagrass que hoje é sucesso no Brasil, EUA e Europa. Nosso objetivo é também dar apoio e fortalecer a indústria de grama e em particular os seus produtores.

Figura 6– Campo de Baseball com Celebration - Florida Atlantic University, FL (Alexandre, Ken (FAU) e Erin (Sod Solutions)).

Figura 6– Campo de Baseball com Celebration – Florida Atlantic University, FL (Alexandre, Ken (FAU) e Erin (Sod Solutions)).

A idéia de iniciar uma associação brasileira, com o nome sugerido acima, está lançada e ficam todos convidados à discussão. É imprescindível a participação de todos: empresas, profissionais independentes, pesquisadores, autoridades do setor; o convite é para que todos.

Permaneço à disposição para participar do processo de discussão e organização da associação. Tenho certeza que o Brasil vai dar um “show de bola” quando apresentar os seus gramados esportivos ao mundo. Afinal, temos os componentes principais para que isto aconteça: a garra e a capacidade de todos nós brasileiros.

gurgel ass

 

Eng. Agr. Diretor Executivo de Pesquisa