O Fairway, ou raia é o caminho entre o tee e o green. Tem forma e tamanho variável e, de fato, é o que delimita a forma do buraco. Podem também estar ausentes em buracos de par 3 ou podem se apresentar como approach ou antigreen – uma área de transição que liga o Fairway ao green.

buraco

Figura 1 – esquema geral de um buraco de golfe.

Os fairways sofrem relativa injúria, causada pelas tacadas – os divots. Entretanto, devido a sua grande área, os divots geralmente estão espalhados por toda a extensão e a sua recuperação é simples. Operações de manutenção como o preenchimento dos divots com areia ou divot mixture (no caso de gramas de inverno) são realizadas periodicamente e em caso de dano mais severos devido à tacadas ou tráfego, pode-se realizar até mesmo a re-semeadura, como mostrado na figura abaixo.

Figura 2 – Divot mixture.

Figura 2 – Divot mixture.

Figura 3 – Re-semedura.

Figura 3 – Re-semedura.

O corte da grama é um dos fatores primordiais em um Fairway, tanto para fins de jogabilidade, como também para a qualidade do gramado. É realizado normalmente por maquinas de 5 corpos helicoidais, embora também possa ser feito com 7 ou mesmo 3 corpos. A altura de corte varia de 3/8 a 1 ¼ polegadas – 9,7 a 32mm. As aparas podem ou não ser coletadas e alguns cuidados especiais devem ser tomados na hora do corte:

• Sentido de corte – variar o sentido de corte periodicamente mantém o gramado uniforme e livre de marcas de pneus ou mesmo faixas compactadas pela ação da máquina. O padrão também pode ser mudado, por exemplo, de listras ou xadrez para um padrão dividido ao meio, o que elimina as curvas da máquina no rough, evitando danos e aumentando a rapidez da operação.

Figura 4– Padrão de corte do fairway em xadrez.

Figura 4– Padrão de corte do fairway em xadrez.

Figura 5 – Padrão de corte do fairway em “metades” (ao fundo).

Figura 5 – Padrão de corte do fairway em “metades” (ao fundo).

• Cabeças de irrigação – há, dentro dos fairways, cabeças de irrigação que podem estar “desniveladas” mais fundas, ou mais altas. É importante que o operador do cortador de fairways se atente para isso e tenha cuidado para não danificar a máquina, ou os sprinkler heads.

• Clean up lap – ao fim do corte, se faz a clean up lap ou volta de limpeza, cortando a grama seguindo os contornos do fairway. Deve-se atentar para a qualidade dessa operação, evitando scalping e/ou que o Fairway perca a sua forma aos poucos, devido ao corte. Atente para isto, especialmente se o seu campo possui gramas diferentes no fairway e rough, evitando invasões entre os gramados.

Figura 6– Clean up lap.

Figura 6– Clean up lap.

Outros aspectos da manutenção dos seus fairways:

• Evite tráfego de carrinhos de golfe sempre pelas mesmas áreas do fairway. Altere os acessos e saídas dos golf carts periodicamente, ou sempre que necessário.

• Confira a sobreposição das cabeças de irrigação e as possíveis áreas não irrigadas.

• Operações localizadas de adubação, topdressing e outras práticas podem ser realizadas nos fairways, conforme conveniência e necessidade.

Figura 7 – Corte de fairways torneio PGA Quail Hollow Championship 2010 – “sweep mowing”s.

Figura 7 – Corte de fairways torneio PGA Quail Hollow Championship 2010 – “sweep mowing”s.

Philipe Carvalho Ferreira Aldahir é engenheiro agrônomo formado pela UFLA e especilaista em gramados e campos de golfe.