Num projeto paisagístico a água valoriza o jardim por proporcionar movimento, promover efeito relaxante e refrescar o ar ambiente. A água é indispensável quando se quer elaborar uma paisagem interessante e saudável.

Espelhos d`água, cascatas, pequenos lagos, são recursos utilizados pelos paisagistas quando se que elaborar um projeto diferente e que dê ao cliente uma certa qualidade de vida. Porém sempre a água deve estar relacionada a algum elemento vegetal para dar um toque especial a paisagem.

Escolher as plantas não é tarefa fácil, requer paciência, estudo e talento. Seguem abaixo algumas dicas de plantas aquáticas flutuantes que podem ser utilizadas em projetos paisagísticos:

 

Aguapé (Eichhornia crassipes)

Da familia Pontederiaceae esta espécie é uma herbácea flutuante que possui flores azuis que surgem na primavera e verão. Este vegetal é nativo da América tropical. Esta aquática multiplica-se rapidamente, portanto requer manutenção constante dos lagos decorativos e aquários.

aguape

 

Ninféia-rubra (Nymphaea rubra):

Esta planta é uma herbácea tuberosa que pode ser planta no lodo dos lagos, onde enraiza facilmente. Da família Nymphaeaceae, esta planta vive em lagos e espelhos d`água de baixa profundidade. Originária da Índia sua folhagem e flores apresentam um grande potencial paisagístico por apresentar flores grandes de coloração branca a rósea e folhas verde-escuras. Geralmente estas flores também são formadas no verão.

ninfeia

 

Vitória-régia (Victoria amazônica):

Nativa do norte do Brasil, esta planta é da familia Nymphaeaceae. As flores são formadas na primavera-verão. Este vegetal engrandece e realça a paisagem pela imponência das folhagens e beleza das flores. Esta planta é cultivada em tanques e lagos com profundidade superior a 90 cm.

Não só as plantas aquáticas flutuantes embelezam e dão um toque característico ao seu projeto.

Existem também as plantas palustres e as plantas marginais. As plantas palustres são aquelas que vivem em locais encharcados como: regiões próximas a lagos, lagoas e espelhos d`água.

Já as plantas marginais são plantas que servem como um bom refúgio para pequenos animais, anfíbios e peixes que possam estar vivendo próximo ao ambiente criado pelo paisagista. Estas plantas vivem muito bem em locais como margens de lagos por exemplo.

 

Fica a dica sobre as plantas aquáticas. Planeje, crie e invista nestas plantas em seus projetos. Vale a pena!
Prof. Dr. Marcelo Vieira Ferraz é professor de Tecnologia, Floricultura e Paisagismo da UNESP-Registro-SP.